Fome e Sede

Qual é a sensação de estar com sede e fome depois de você ter estado a tanto tempo sem comer e beber?
A sensação de estar anestesiado completamente.
Você não sente mais fome e nem sede.
Você consegue sobreviver, sabe como viver sem beber e comer.
É como se não existisse nem comida, nem bebida.
Você vive feliz, se acostumou a não ter.
Desta forma você procura em outros lugares.
E descobre que há um suprimento dentro de você.
Este lugar te protege,
te guarda e te fortalece,
na mesma medida que o tempo passa.

Seu corpo vai se fortalecendo, não se lembra mais do que é comer e beber.
Seus olhos não vêem mais nada e sua boca não sente mais nada.
Tudo é entorpecido,
anestesiado, guardado
e por fim adormecido, esquecido.

Perde-se no tempo, sem pistas do local onde talvez esteja.
Será que morto está?
Tão quieto, não se ouve mais sua respiração.
Será que morreu e esqueceu de avisar do enterro?

De repente você sente uma minúscula gota de água na sua boca,
como se fosse uma gota de orvalho.
Depois sente em sua boca um farelo com sabor de algo.
Você nem se lembra muito bem do que é isso.

E desta forma seu corpo reage de uma forma inesperada,
um medo enorme te invade,
um monstro parece que vai te pegar.
Gigantesco com enormes garras querendo te alcançar.
Você se encolhe totalmente, fugindo desesperadamente daquela sensação.

E novamente você recebe uma gota pequena de água,
um pedacinho macio de pão.
Você não se lembra direito o que está recebendo.
Uma sensação estranha te envolve e uma vaga lembrança invade sua mente.
O que é isso?
Que sensação é esta?
Tantas perguntas?

Por que me faço tantas perguntas?

O calor começa a invadir meu ser e a sede
e a fome começa a se intensificar.
E você percebe o tamanho da sua fome e da sua sede.
Totalmente insaciável, totalmente insaciável.

E por fim você percebe que ainda está vivo!
E que não pode viver sem ter fome e sede.

2 thoughts on “Fome e Sede

  1. Léa says:

    Que profundo…que humano…
    A beleza deste poema é que é tão universal…fala de você, de mim, do meu vizinho…de qualquer ser que procura, que caminha, que quer, que ama, que chora, que sorri…que vive enfim.
    Incrível!

    • Terra dos Aromas says:

      Obrigada. Neste poema consegui expressar essa sensação de fome e sede que temos e ela se aplica a vários momentos. Algumas pessoas mais religiosas disseram que parece a descrição do jejum.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *