Vou navegar

O canto suave de pássaros a transformar a tarde,
A grama verde,
A calma e a paz tão mais importante
que a tempestade da incerteza.

As nuvens se formam no céu.
Final de feriado, final de tarde.
Momentos que me invadem
Me preenchendo,
Envolvendo meus olhos de flores.

Na rede meu corpo descansa,
Depois de um dia
E assim as palavras vão se transformando…
Gosto de me sentir assim.

Meu Deus, me Pai
A brisa sopra, o mar está perto
O céu azul se vai pouco a pouco,

O talvez da chuva

E você chega no meu pensamento…
E não sei porque , comecei a pensar em você
Parece ter descoberto
Nem sei o que…
Gaivotas surgem
Minhas mãos…

Vou navegar? Não sei

S. Carneiro

6 thoughts on “Vou navegar

  1. Luiz Miguel says:

    Muito lindo ! Estou me esforçando ao máximo para tentar fazer uma boa crônica poética, e com esse lindo exemplo, me senti mais inspirado. obrigado

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *